[Iberê] Teria como pagar menos imposto em firmas de prestação de serviço de projeto e construção? 
Login: 
Senha:   
Fazer cadastro conosco
O Site | Quem somos | Contato | Cadastre-se | Apoiadores
Equipe | Perguntas freqüentes

Home   Edições impressas   Cursos e Eventos   Todos os artigos  
Boletins   Anuncie   Quer colaborar?   Dúvidas técnicas  
Google

Você está aqui: Home » Artigos sobre Profissão e carreira
Artigo (veja mais 28 artigos nesta área)

Teria como pagar menos imposto em firmas de prestação de serviço de projeto e construção?

Por Arq. Me. Iberê Moreira Campos e equipe

Este assunto é um pouco extenso, tanto assim que dedicamos uma aula inteira do curso de “Gerenciamento de Escritórios de Projeto e Construção” para falar sobre isso. Aqui mesmo em nosso site já respondemos uma pergunta similar, sugerimos consultá-la clicando aqui. Em resumo, trata-se do seguinte:

O governo fechou várias portas que os prestadores de serviço nesta área podiam usar até 2017 para pagar menos impostos. Atualmente, se formos levar a coisa ao pé da letra, temos que pagar 15,5% para emitir uma nota de qualquer serviço ligado à arquitetura, engenharia e construção. A legislação chama isto de prestação de serviços intelectuais, e como tal estão sujeitos à tabela V do SUPERSIMPLES.

Se tomarmos a legislação ao pé da letra, portanto, no caso trazido pelo leitor, que já tem uma firma aberta, mesmo que de informática, o correto seria modificar o contrato social da sua empresa para abranger os trabalhos que faz como arquiteto. Alternativamente, poderia fechar a empresa atual e abrir uma nova, precisaria analisar a situação para saber qual é a melhor alternativa.

Se for para modificar a empresa atual, é preciso pedir para o contador manter as atribuições que já tem na área de informática e acrescentar as de arquitetura e construção. Afinal, podem surgir outros trabalhos nesta área ou então o leitor pode querer prestar serviços de arquitetura para algum cliente que aceite receber nota de serviços de informática, só para fazer constar no caixa a saída do dinheiro.

Então, a princípio, o ideal seria isto, ou seja, deixar a firma habilitada para fazer diversos tipos de serviço (e poder tirar nota disto) porque, sempre que possível, tiramos nota na tabela III (pagando 6%) ao invés de usar a tabela V (pagando 15,5%, em valores de 2018).

Fazendo assim, não necessariamente vai aumentar a carga de impostos que o eleitor paga, mas ficará preparado para trabalhar para empresas maiores, que realmente precisam da nota fiscal exatamente como determina a lei. Digo isto porque em muitos casos o leitor pode trabalhar como profissional autônomo, neste caso pagando o carnê-leão (mensal) ou então deixando para fazer o ajuste final na declaração anual do imposto de renda.

É importante lembrar que, quando a gente tem firma, além dos impostos pagos sobre o valor das notas, ainda temos que pagar o imposto na pessoa física quando retiramos dinheiro da firma (seja na forma de pró-labore ou de distribuição de lucros). Em outras palavras, o imposto como pessoa física será pago (ou calculado) de qualquer forma, por isso reservamos as notas fiscais apenas para os casos em que elas realmente são necessárias e exigidas pelos clientes do prestador de serviços.

Publicado em 14/05/2018 às 10:43 hs, atualizado em 14/05/2018 às 11:13 hs


Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato
Enviar para amigo Assinar newsletter Entre em contato

Nenhum comentário até o momento.

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Login:
Senha:
  • Se você já se cadastrou no site, basta fornecer seu nome e senha.
  • Caso ainda não tenha se cadastrado basta clicar aqui.


TEMOS MAIS 28 ARTIGOS SOBRE :
Será que passar uns tempos em São Paulo ajuda a alavancar carreira de um arquiteto?
Arquiteto deu todas as dicas e cliente não fechou negócio para fazer projeto. E agora, como fica o profissional?
Como pode se regularizar perante a legislação o profissional que executa obras, além de fazer o projeto?
Qual o melhor tipo de contrato para o arquiteto ou designer executar obras? Fiscalização, administração ou empreitada?
Quanto o arquiteto ou designer deve cobrar um acompanhamento de obra?
Quanto cobrar num projeto de reforma de uma edificação?
Qual é o valor da minha hora-técnica? Como calculo isso?
O arquiteto na administração de obras: vamos unir o útil ao agradável!
O que devo fazer numa visita técnica a uma construção que estou fiscalizando?
O que é uma consultoria e como vender isso?
Dificuldades para cobrar dos clientes de escritório de projeto e construção. Será que resolve emitir boleto para eles?
Como calcular o valor do quilômetro rodado para quem trabalha com obras na construção civil?
Dúvida em contrato de trabalho feito em parceria entre arquiteto e engenheiro
O que fazer quando o cliente não confia no administrador da obra?
Até onde vai a responsabilidade do arquiteto numa obra que executou?
Aplicação do método CUB em reformas de casas e outras edificações
Como orçar uma reforma de edificação pelo método CUB
Qual a diferença entre fiscalização, gerenciamento e administração de obras?
É possível transformar casa térrea em um sobrado?
Como lidar com os clientes que não pagam?
O arquiteto ou engenheiro deve cobrar taxa de visita para “dar uma olhada”?
ART de serviços terceirizados de uma obra sob responsabilidade de outro arquiteto ou engenheiro
Táticas para pedir (e conseguir) aumento de salário
Porque o arquiteto deve fazer a administração de obras
Espanhol cresce como ferramenta de trabalho
Perguntas mais comuns em uma entrevista de emprego(3/3)
Procedimentos em uma entrevista de emprego (2/3)
Preparando-se para uma entrevista de emprego (1/3)

 

SEJA VOCÊ TAMBÉM UM COLABORADOR!

Colabore com nosso site, contribua para o desenvolvimento da Arquitetura e construção e, de quebra, aumente seu currículo e promova sua empresa!
É simples:
  • Se você é uma pessoa física e deseja colaborar com notícias, artigos e sugestões, veja a seção Quero colaborar
  • Caso tenha uma empresa do setor e quer divulgá-la junto aos nossos visitantes, veja a seção Anuncie
  • Caso sua empresa faça Assessoria de Imprensa para um ou mais clientes, você pode mandar os releases para nossos repórteres e teremos a maior satisfação divulgar as notícias neste espaço.
  • Se você é um órgão de imprensa, contate-nos em imprensa@luzes.org e conheça as várias maneiras para interagir com nosso site e nossos visitantes.

Tel (11) 3483-9868
Fax (11) 2368-4666
Email: contato@luzes.org
  • Por favor entre em contato para qualquer dúvida, imprecisão do conteúdo ou informação indevidamente divulgada.
  • Os artigos e demais informações assinadas são de integral responsabilidade de seus autores.
  • O conteúdo deste site está protegido pelo Acordo Internacional da Creative Commons.
  • Os produtos e serviços de terceiros aqui divulgados são de inteira responsabilidade de seus anunciantes.
  • Nosso nome, logomarca e demais sinalizações estão protegidas na forma da lei.